Especial Mês das Mulheres: Participantes dão sua visão sobre independência financeira feminina


Postado - 01/03/2021



Cada vez mais, as mulheres estão ocupando espaços que não eram considerados “lugar de mulher”. Mesmo com a entrada tardia delas no mercado de trabalho e ainda tendo as menores remunerações, o número de trabalhadoras com carteira assinada dobrou nos últimos anos. Elas também estão ganhando autonomia na criação dos filhos e no controle do orçamento familiar.

Tudo isso transforma a maneira como elas lidam com o dinheiro. Se antigamente falar sobre finanças era um tabu no universo feminino, hoje essa realidade já é outra. Muito disso se deu por conta da internet: diversas mulheres passaram a produzir conteúdo sobre finanças, o que ajudou a disseminar esse conhecimento no universo feminino — como é o caso da Nathalia Arcuri, do canal Me Poupe, e da Nath Finanças, autora do livro “Orçamento Sem Falhas”. 

Com tanta informação disponível, ficou mais fácil para elas estudarem sobre investimentos e organizarem suas próprias economias, sem depender de outra pessoa ou de uma empresa. A busca pela independência e o planejamento para a aposentadoria foram temas reforçados por nossas participantes em entrevistas que realizamos para comemorar o Mês das Mulheres. Para elas, o principal aprendizado da educação financeira é investir para garantir qualidade de vida.

“Desde o início, eu pensei em manter o estilo de vida que tenho hoje depois que me aposentar. Essa foi a minha intenção, um complemento da aposentadoria pelo INSS”, avaliou Adriana Godoi, de 51 anos. Ela trabalha na Ericsson há 22 anos como analista administrativo na área de Facility, e desde então vem contribuindo com o seu plano na E-Invest.

Pensar em como será a vida quando parar de trabalhar pode ser algo distante para muitos jovens. Mas isso não significa que não se deve planejar e começar desde já a economizar. A participante Karina Barqueiro, de 23 anos, trabalha numa empresa que faz parte da Ericsson, na área de desenvolvimento de software — e já imagina como quer viver a pós-carreira. “Quando eu for me aposentar, quero ter um dinheiro para investir e comprar alguma franquia, ter uma outra renda. Pretendo continuar trabalhando mesmo aposentada”, ressaltou.

Já Adriana Godoi tem outra perspectiva. Para ela, essa fase da vida é “um momento de descanso, de curtir o que eu conquistei ao longo dos anos”. Ela diz que pretende “morar no litoral, para aumentar a qualidade de vida, e fazer algumas viagens”. Duas visões diferentes apresentadas por mulheres em fases distintas da vida, mas que mostram a mesma preocupação com o futuro.

Para conquistar o que deseja, é importante ter bem claro quais são as prioridades, e também saber controlar o orçamento. Ter essa educação financeira está cada vez mais essencial hoje em dia. Karina, por exemplo, comenta que aprendeu com os pais a importância de planejar e economizar. “Desde quando eu era pequena, meus pais sempre me ensinaram a poupar e fazer planejamentos econômicos do que desejo ter e comprar”, afirmou a participante.

Esse conhecimento, inclusive, a Karina tem passado adiante, para as próximas gerações: ela já ensina sua filha de apenas 6 anos a cuidar das finanças. “Eu penso nela pra ela se espelhar em mim com eu me espelhei nos meus pais. Ela tem o cofrinho dela, a gente faz planos de longo e curto prazo. Já está aprendendo sobre finanças desde cedo, na verdade é uma das coisas que ela mais gosta de fazer”, confessou.

Vinda de uma geração diferente, mas que percebe as mudanças do nosso tempo, Adriana Godoi observa que as mulheres ganharam mais responsabilidades e por isso estão mais atentas a como usar o seu dinheiro. “Eu vejo uma crescente participação das mulheres no mercado de trabalho e principalmente da sua importância na economia. Aumentou a responsabilidade delas no sustento da família e elas vêm se destacando profissionalmente em vários setores”, observou a participante.

Além de lidar com os próprios ganhos e gastos, elas também estão falando mais abertamente sobre dinheiro. Ou seja, esse assunto está deixando de ser um tabu no universo feminino. É como disse a Adriana: “Eu não acredito que ainda exista esse tabu. Eu acho que esse assunto é indiferente ao tipo de gênero”. Karina Barqueiro compartilha da mesma opinião, e ressalta: “Com minhas colegas de trabalho, a gente fala bastante dessa questão de dinheiro, não só de promoções ou compras, mas de investimentos mesmo, planos para os filhos e planos futuros”

A participante comenta que esse conhecimento promove a busca e facilita a conquista pela independência financeira feminina. “As mulheres ganharam muito espaço nas empresas, muitas delas – até eu mesma – nem me imagino dependendo de ninguém, seja dos meus pais ou do meu noivo”, reforçou.

Apesar de todo conteúdo disponível na internet, e da possibilidade de gerenciar o próprio dinheiro com facilidade, muita gente ainda não investe por diversas razões. Mas sempre é tempo de reverter essa realidade e mostrar a importância de economizar e fazer aplicações financeiras que tragam bons resultados, seja para viajar ou viver bem a aposentadoria.

“Quanto mais jovem se aprende a poupar a vida, melhor vai ser o desenvolvimento, mais qualidade de vida terá no futuro”, aconselhou Adriana Godoi. Ela reforça que é preciso acreditar que o investimento de hoje vai fazer diferença, e persistir. “Os jovens em geral, não só as mulheres, devem acreditar e pensar no futuro. Abraçar e praticar a educação financeira, o consumo consciente”, observou.

Para Karina, o foco principal da sua vida financeira é o equilíbrio. A participante comenta que controlar os gastos do dia a dia é essencial para ter tranquilidade e conseguir montar uma reserva financeira. “Eu tenho muita segurança das coisas que eu faço e compro, sempre mantendo uma reserva no banco, seja para qualquer emergência. Se eu ficar desempregada hoje, consigo viver 6 meses tranquilamente com essa reserva”, comentou.

O mais importante, na visão da Karina e da Adriana, é conseguir cuidar do próprio dinheiro. E para conquistar essa autonomia, é preciso planejamento, foco, persistência e principalmente, não gastar tudo de uma vez. “As pessoas têm que se planejar”, aconselhou Karina.

As entrevistas foram realizadas para homenagear as mulheres que fazem parte da E-Invest e, independente da idade ou da geração, estão desde cedo começando a se planejar para viver bem a aposentadoria. Essa matéria é um especial para o Mês das Mulheres de 2021. Estamos realizando outras ações nas redes sociais e nos e-mails corporativos. Acompanhe e participe!

Agradecemos a todas as mulheres participantes que abriram um pequeno espaço no seu dia para conversar com nossa equipe e mostrar a sua visão sobre os temas abordados. Feliz Dia das Mulheres a todas elas!


Comentar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *